Arquivo da categoria: Agricultura

Foto: Divulgação

A Prefeitura de União da Vitória está com chamada pública aberta para a aquisição de gêneros alimentícios diretamente da Agricultura Familiar e do Empreendedor Familiar Rural com duração de 12 meses para a compra de produtos direto da propriedade para as escolas de União da Vitória.

A chamada pública vem fomentar o desenvolvimento do Programa Nacional de Agricultura Familiar (Pronaf), por meio de aquisição de alimentos produzidos por agricultores familiares no âmbito do Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE), nos termos da resolução nº 26 de 27 de junho de 2013 CD/FNDE, e resolução nº 04 de 03 de abril de 2015, sendo a Prefeitura de União da Vitória a executora da chamada pública e o FNDE e PNAE sendo os responsáveis pelo repasse dos recursos financeiros.

Ao todo a chamada pública conta com 42 itens que poderão ser vendidos para o Programa Nacional de Alimentação Escolar, e de acordo com o artigo 29 da resolução nº 4 de 02 de abril de 2015, o preço de aquisição dos gêneros alimentícios será determinado pela entidade executora, com base na realização de pesquisa de preço de mercado.

Cronograma da chamada pública:

Data para recebimento das propostas de habilitação e dos projetos de venda: 15/07/2020 até 14/08/2020 das 12h às 13h30 no setor de Protocolos Geral da Prefeitura de União da Vitória, na rua Dr Cruz Machado nº 205 no térreo.

Abertura das propostas relativas habilitação / Abertura dos projetos de venda / Análise dos projetos de venda:  Data 18/08/2020, às 14h, na Sala de Licitação na rua Dr Cruz Machado, nº 205 / 4ª andar Sessão Pública registrado em Ata.

Divulgação do resultado: Após parecer Jurídico e Laudo das Amostras e divulgação em Diário Oficial no site da Prefeitura de União da Vitória, no endereço: http://uniaodavitoria.pr.gov.br/

 

Itens / produtos:

Abobrinha / Alface /Alface Americana / Alho / Arroz Beneficiado / Batata Doce / Batata Salsa / Batata Inglesa / Beterraba / Biscoito Doce tipo caseiro / Biscoito Doce tipo caseiro com erva-mate / Brócolis / Cebola / Cenoura / Cheiro Verde / Chuchu / Couve / Couve flor / Doce de Frutas Pastoso (geleia) / Feijão de Cor / Feijão Preto / Filé de Tilápia / Laranja Comum / Macarrão Caseiro / Macarrão Caseiro de erva-mate / Maça Fuji / Mandioca descascada / Mel de Abelha Puro / Melancia / Milho Verde / Morango / Ovo Caipira Vermelho (colonial) / Pão tipo Caseiro / Pão tipo Caseiro Integral / Pepino / Repolho Verde / Suco de Laranja / Suco de Tangerina / Suco de Uva / Tangerina Poncã / Tomate / Vagem.

Na chamada pública o interessado tem todas as informações de valor com base na realização de pesquisa de preço de mercado como também todas as informações sobre os procedimentos a serem tomadas na chamada pública.

O vice-prefeito de União da Vitória, Bachir Abbas, fala sobre a importância da chama pública e de fazer a compra direta do agricultor para as escolas de União da Vitória. “Alguns produtores já nos procuraram para saber do prazo para poder participar da chamada pública, para vender os seus produtos para as escolas de União da Vitória. Sabemos que muitos produtores já participaram desta forma de chamada pública e agora no período da pandemia do novo Coronavírus podem vender os seus produtos e vai trazer um recurso para as famílias. Quero chamar a atenção de quem vai participar que fique atento aos prazos e entregue toda a documentação para poder ser um produtor que vai fazer a entrega dos produtos para a alimentação dos nossos alunos”, destacou Bachir Abbas.

Com apoio da Emater, secretaria municipal de agricultura tem projeto aprovado no valor de R$ 380 mil para aplicação em duas microbacias de União da Vitória

A notícia é animadora para famílias rurais das microbacias dos rios São Joaquim e Rio do Meio, na região conhecida como “Pinhalão”, interior de União da Vitória.
Em ação conjunta com a Emater, a secretaria municipal de agricultura aprovou projeto junto ao Governo do Paraná no valor de R$ 380 mil. Os recursos que vieram a fundo perdido já estão depositados em conta específica da prefeitura. “A contrapartida da prefeitura será com a execução, operacionalização e aplicação dos recursos”, destacou o secretário Nei Kukla ao comemorar a notícia de liberação dos valores esta semana.
Nei ressaltou que na região Sul do Paraná, apenas União da Vitória e o vizinho município de Paula Freitas obtiveram tais incentivos. “Nosso projeto começou no início de 2017, atendendo a um pedido do prefeito Santin [Roveda] que sempre frisa: é preciso trabalhar com planejamento. Então, com apoio da Emater e do colega secretário Rodolfo Moser, concluímos e inscrevemos este importante projeto que agora, felizmente, foi aprovado”, disse Kukla.
A aplicação dos recursos
A prefeitura já atua na elaboração dos editais de licitação para os itens que foram apontados pelas próprias comunidades beneficiadas. Este rol de necessidades foi definido durante reuniões mantidas com a secretaria de Agricultura. “Nesses encontros, os moradores do entorno destas microbacias nos informaram sobre suas prioridades regionais”.
Serão beneficiadas aproximadamente 70 famílias que perceberão, em breve, avanços nas áreas social, ambiental e, consequentemente, econômica. Os recursos serão revertidos em ações como construção de fossas, esgoto sanitário, proteção e preservação de nascentes, recuperação de áreas degradadas e conservação do solo, bem como geração de renda com foco na erva mate e HF.
“Acredito que uma vez realizados os processos licitatórios, já no inicio de 2019 poderemos dar início a aplicação prática destes benefícios, comemorou Nei.

CCIR 2018 já está sendo emitido na secretaria de agricultura de União da Vitória

Desde a segunda-feira (5) a Secretaria de Agricultura de União da Vitória está emitindo o Certificado de Cadastro de Imóvel Rural (CCIR) 2018. O documento é indispensável para legalizar em cartório alterações no registro da área ou até mesmo para financiamentos bancários.
A emissão do certificado relativo ao exercício de 2018 pode ser requerida nos períodos matutino e vespertino, das 8h às 18h, no setor de notas fiscais da secretaria, que fica ao lado do ginásio de esportes Isael Pastuch.
O secretário de agricultura, Ney Antônio Kukla, lembra que para ser validado, o CCIR precisa ter sua taxa de serviço cadastral quitada na rede de atendimento do Banco do Brasil.
Expedido anualmente pelo INCRA, o documento comprova a regularidade cadastral do imóvel rural. Contém informações sobre o titular, a área, a localização, a exploração e a classificação fundiária do imóvel rural. Os dados são declaratórios e exclusivamente cadastrais.
A prova do cadastro do imóvel rural também é indispensável para desmembrar, arrendar, hipotecar, vender ou prometer em venda o imóvel rural e para homologação de partilha amigável ou judicial (sucessão causa mortis) de acordo com os parágrafos 1º e 2º do artigo 22 da Lei nº 4.947, de 6 de abril de 1966, modificado pelo artigo 1º da Lei nº 10.267, de 28 de agosto de 2001.

Piscicultura do município recebe visitantes de São Mateus

Professores da Casa Familiar Rural de São Mateus do Sul estiveram visitando áreas de piscicultura em União da Vitória durante o dia 12 de junho.

O objetivo da visita técnica foi conhecer o projeto de Revitalização da Piscicultura que abrange toda cadeia produtiva. Essa cadeia vai da produção de alevinos até o peixe na alimentação escolar. O município já forneceu mais de 80.000 (oitenta mil refeições) nas escolas com pratos a base de peixe, tudo produzido no município e beneficiado por agricultores familiares.

A vinda da equipe foi acompanhada de perto pelo extensionista da Emater José Carlos Schipitoski, pelo Secretário da Agricultura Nei Kukla e pelo veterinário responsável pela inspeção do município Marlon Toigo.

HF mostra-se eficaz em meio à crise

Verduras nas prateleiras! O projeto Hortifruticultura Vale do Iguaçu (HF), criado com o objetivo de encurtar o caminho entre agricultores locais e consumidores, mostrou-se, dentro do possível, eficaz nesses últimos dias onde a paralisação dos caminhoneiros gerou um desabastecimento nos mercados. Mesmo sem os comerciantes receberem verduras e frutas de distribuidoras, as prateleiras dos mercados e mercearias da região, não ficaram totalmente vazias, graças a esse empreendimento.

Os agricultores do HF atenderam a demanda com as verduras e hortaliças típicas da região com a produção de alface, alface hidropônica, chuchu, repolho, cenoura, batata salsa, batata doce, abobrinha, cheiro verde, limão, mimosa e laranja.

Como foi uma situação atípica, sem que ninguém pudesse prever, a quantidade desses alimentos não foi grande, mas supriu a procura. Vale ressaltar que o valor praticado entre os agricultores e mercados permaneceu o mesmo, sem nenhum acréscimo.

Composição do HF

Composto por 3 grupos sendo o primeiro formado pelas Secretarias Municipais da Agricultura de União da Vitória, Porto Vitória, Paulo Frontin, Cruz Machado, Antonio Olinto, Amsulpar e Emater. O segundo grupo formado basicamente por produtores. E o terceiro composto por mercados, mercearias e comércios parceiros. A prefeitura de União da Vitória, dá todo apoio e acompanha o HF desde o seu inicio do projeto.

Aterro Sanitário de cidade é modelo para cidades vizinhas

União da Vitória recebeu duas comitivas de Técnicos dos municípios paranaenses de Telêmaco Borba e Mandirituba. Eles vieram conhecer o modelo de operação do aterro sanitário do município, o sistema de coleta seletiva (Mandirituba) e o Projeto Piscicultura (Mandirituba).

Os locais de visitação foram o aterro sanitário, abatedouro da Família Fersch e Pesque Pague Baur. A visita foi acompanhada pelo secretário de agricultura e meio ambiente Nei Kukla, pelos técnicos da secretaria de Meio Ambiente e pelo Técnico da Emater José Carlos Schipitoski.

Parceria entre empresas gera recuperação de estradas

União da Vitória recebeu essa semana os diretores da empresa FComp do município de Três Barras – SC que possuem fazenda florestal na divisa entre os municípios de União da Vitória e Cruz Machado. A prefeitura municipal, representada pelos secretários da agricultura Nei Kukla e secretário de obras Aloísio Salvatti, receberam os frutos dessa união, que resultou na parceria entre as empresas do município para a recuperação da estrada da comunidade do Pinhalão até a divisa municipal. O trabalho está previsto para iniciar na primeira semana de junho e irá beneficiar empresários e agricultores da região.

Piscicultura é destaque em União da Vitória

O Paraná é um dos líderes em cultivar peixes, em especial a Tilápia. Levando esse importante fato em consideração, a Secretaria Municipal de Agricultura De União da Vitória, desenvolve o projeto de piscicultura no município.  Projeto esse que vem trazendo resultados bastante positivos para o município. A família de João Ferh vem confirmando essa realidade. Eles têm em sua propriedade que está localizada na comunidade do Rio Vermelho, um abatedouro de peixes. O principal objetivo da família ao construir esse abatedouro foi agregar valor ao peixe produzido na propriedade.

A família Fersch agora faz todo o processo de produção, desde a criação da Tilápia nos açudes e o processamento no abatedouro, que consiste basicamente na filetagem e embalagem do produto final pronto para consumo. Na casa do seu João a mão de obra é familiar, onde o empreendimento ocupa cinco pessoas da família, todos que ali estão, trabalham para ajudar o negócio da família progredir.

“O município, por meio da SEMAG realiza o trabalho nos açudes com o serviço de Escavadeira Hidráulica. Ainda dentro do Projeto Piscicultura, a Emater fornece assistência técnica e a Secretaria de Agricultura auxilia com o SIM (serviço de Inspeção Municipal) onde um veterinário da secretaria acompanha todo o processamento do pescado,” explica o Secretário da Agricultura do município, Nei Kukla. Um trabalho em conjunto, prefeitura e munícipe aliados para um desenvolvimento econômico consistente.

Programa Porteira Adentro esta de volta

Atenção agricultores e produtores rurais que possuem cadastro na Secretaria Municipal de Agricultura. O Programa Porteira Adentro lançado em União da Vitória pelo prefeito Santin Roveda no ano de 2017 está de volta. Com o objetivo de fomentar a infraestrutura, ele terá a sua segunda edição a partir de maio. Os interessados deverão procurar a Secretaria Municipal da Agricultura até o dia 30 de junho e preencher um formulário de solicitação de serviço.

O agricultor após formalizar o cadastro deverá fazer a solicitação da máquina que precisa utilizar em sua propriedade. Os serviços disponíveis são de transporte com caminhão basculante, serviços de trator de esteira, serviços de motoniveladora, retroescavadeira, escavadeira hidráulica, serviços de carregadeira e rolo compactador.

O agricultor pagará apenas a metade do valor do serviço, e ele não pode possuir débitos municipais. É necessário que no ato da inscrição seja apresentada a nota fiscal do produtor rural. Após a solicitação ser efetuada e analisada, o serviço entrará no cronograma de execução de trabalhos da Secretaria de Agricultura, e atenderá conforme a demanda.

Benefícios do Projeto HF animam setores envolvidos

Imagine ter todos os dias verduras verdinhas, naturais e frescas na sua mesa? E o melhor, saber que elas são produzidas por agricultores da região e que você precisou apenas ir ao mercado mais próximo para adquirir. Isso está muito próximo de acontecer aqui em União da Vitória. Buscando otimizar o serviço e melhorar a qualidade do produto que chega a sua casa, foi criado o projeto Hortifruticultura Vale do Iguaçu chamado pelos envolvidos de projeto HF. O projeto, no intuito de alavancar o processo de gestão da economia local, é composto por três grandes grupos:

 O primeiro composto pela Secretaria Municipal da Agricultura e Emater (Empresa Paranaense de Assistência Técnica e Extensão Rural), em função de fomentar uma produção de hortaliças e frutas com qualidade. Setor esse que já domina a tecnologia de alimentos saudáveis, sendo que boa parte dessa produção de alimento sai da região e ao retornar, volta com um valor mais alto. Isso transfere as riquezas locais para outras regiões.

O segundo grupo é formado por compradores, em geral mercados, sacolões e mercearias que compram hortaliças e frutas, geralmente trazidas de outras regiões. O que na maioria das vezes acaba custando um valor mais alto e perdendo a qualidade do produto que chega a mesa do consumidor final.

E o gestor publico, ou seja, a prefeitura que forma o terceiro grupo. Essa é responsável promovendo incentivos fiscais que beneficia todas as pessoas dessa cadeia, o município ganha como um todo, assim explica Eustáquio Pereira, engenheiro Agrônomo da Emater: “Ganha economicamente, em termos de saúde, os alimentos serão mais saudáveis e algumas vezes orgânicos. Ganha abatendo impostos para mercados cadastrados nesse projeto. Esse cadastro está vinculado a um trabalho de propaganda e marketing, feito com o apoio da prefeitura, para que o consumidor final saiba qual mercado e quais os produtos são caracterizados por esse projeto” explica Pereira.

O primeiro contato dos setores com os agricultores locais aconteceu no dia 01 de março no Instituto Federal do Paraná Campus União da Vitória. A reunião foi um sucesso, na ocasião os produtores conheceram seus parceiros de projeto e puderam apresentar seus produtos e conhecer um pouco mais sobre os passos seguintes. Para o senhor Laurindo Wisniewski, produtor rural de São Domingos, o projeto irá trazer muitos benefícios, “Eu produzo em minha propriedade, planto na minha residência junto com minha família, esposa e quatro filhos, produzimos aipim, vagem orgânica e ovos, esse incentivo do HF irá alavancar a economia na propriedade, cooperativa e município, todos nós estamos muito animados” conclui.

Fazem parte do projeto agricultores das cidades de União da Vitória, Antônio Olinto, Bituruna, Cruz Machado, General Carneiro, Paula Freitas, Paulo Frontin, Porto Vitória e São Mateus do Sul. Ao todo, são 38 instituições envolvidas no projeto, entre elas estão a secretaria municipal de agricultura e Emater PR, Câmara De Dirigentes Lojistas União Vitória E Porto União (CDL) e associação comercial. Também a prefeitura Municipal de União da Vitória que foi pioneira na região em elaborar um projeto de lei de incentivo fiscal para os empresários que adquirirem produtos HF para revenda e a câmara de Vereadores que aprovou a lei de incentivo fiscal consciente dos benefícios relacionados.

O objetivo do projeto é fazer com que todas as partes sejam beneficiadas; O produtor garantindo o mercado no qual ele tem dificuldade em acessar, o mercado comprando produtos fresquinhos e de qualidade, o consumidor final que vai saber que o produto que está levando para casa, além de ter qualidade, é de um produtor na nossa região e a gestão municipal como um todo dinamizando a economia local. “O Projeto HF após consolidada irá fortalecer o comércio local, servir de apoio aos agricultores envolvidos que irão aumentar a sua produção com a certeza de comercialização e o consumidor terá a garantia de produtos frescos e de qualidade” afirma o secretário da agricultura Nei Kukla.

Dia 09 os setores envolvidos realizaram outra reunião para avaliar a primeira rodada do projeto e tomar novas decisões. Ficando pré estabelecido alguns requisitos básicos para a adesão de novos membros no projeto. Também houve o planejamento do lançamento efetivo da marca Hortifruticultura Vale do Iguaçu. O próximo passo será dado no dia 15 de março, onde membros do projeto estarão reunidos com o prefeito de União da Vitória Santin Roveda na CDL para dar direcionamentos e tomar novas decisões sobre o projeto.