Arquivo da tag: transporte

Foto: Comunicação Prefeitura de União da Vitória

O prefeito de União da Vitória, Santin Roveda, junto ao vice-prefeito Bachir Abbas e o secretário Municipal de Saúde, Ary Carneiro Junior, assinaram na tarde desta sexta-feira, 27 de novembro, dois novos decretos, que suspende a flexibilização do decreto assinado no mês de outubro de 2020.

Os novos decretos proíbem a utilização de parques, e locais públicos por tempo indeterminado como já ocorreu no decreto assinado no inicio da pandemia do novo Coronavírus (Covid-19) e também assinou o decreto que proíbe a gratuidade no transporte público em União da Vitória.

“Estou assinado dois decretos um que proíbe a utilização de parques e locais de esportes em União da Vitória como também assinei o decreto que dava a gratuidade no transporte público da cidade que é da empresa Transporte Coletivo Iguaçu (TCI) por tempo indeterminado. Isso é para garantir a segurança e a saúde de todos de União da Vitória. Quero afirmar que não estamos proibindo as pessoas de sair de suas casas para caminhar tomar um sol, mas que todos se protejam e utilizem a máscara e álcool em gel”, destacou o prefeito de União da Vitória, Santin Roveda.

Durante a coletiva de Imprensa que ocorreu na tarde desta sexta-feira, no gabinete do prefeito, o secretário Municipal de Saúde, Ary Carneiro Junior, confirmou que será também divulgado como ocorrem todos os dias os resultados de exames que deram positivo, para Covid-19, exames feitos em laboratório particulares e que na Unidade de Pronto Atendimento (UPA-24 horas), terá um espaço destinado para os pacientes que chegam com o resultado do laboratório particular com atendimento na parte da tarde.

Junto com a população, prefeitura e Piedade resolvem impasses

Foi realizada na noite desta quinta-feira (13), numa iniciativa do prefeito Santin Roveda, audiência pública no auditório da Secretaria Municipal de Cultura de União da Vitória para tratar do transporte público.
O encontro contou com a presença de representantes da prefeitura, de funcionários da empresa Transporte Coletivo Nossa Senhora Piedade que atuam com o Sistema de Transporte União da Vitória (TCI), do Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários de União da Vitória (SINTRUV) e, principalmente, da população.
Apesar de não ser uma exigência de lei, o prefeito insistiu na realização por uma questão de transparência e para que todos tivessem voz. “O objetivo foi encontrar de formas justa e democrática soluções para as questões relacionadas ao transporte coletivo em nosso município”, disse Santin.

O prefeito reforçou que a sua gestão apanhou a situação em trâmite e precisou recorrer a consultas e pesquisas para ter parâmetros de como proceder com relação ao inevitável reajuste das passagens. “Eu não podia, simplesmente, sem embasamento algum, sair aumentando tarifas sem parâmetros”, falou o prefeito.

A empresa alegou que o valor das tarifas do Sistema de Transporte União da Vitória (TCI) está sem atualização desde 15 de fevereiro de 2016. São quase três anos sem reajuste tarifário, período em que a economia oscilou trazendo altas de preços para todos os setores da sociedade. A empresa alega que desde o último reajuste, os custos operacionais subiram consideravelmente. Somente para salários foram três datas-bases (jun/2016, jun/2017 e jun/2018), que resultaram num impacto de 20,32% na folha de pagamento. Já o reajuste de Diesel, segundo a empresa, foi na ordem de 10,48% somente no período de dezembro 2017 a agosto de 2018, com inflação de 15,18% entre fevereiro 2016 a outubro de 2018.

Após as explanações, foi apresentado o resultado das deliberações da comissão de trânsito que decidiu pelo reajuste com base em estudos técnicos contratados. Assim, as linhas urbanas e rurais passam dos R$ 2,90 e R$ 6,70 para R$ 3,70 e R$ 8,50 respectivamente.

Outra definição importante tomada foi a decisão pela renovação por mais 15 anos (descontado o período das prorrogações feitas a partir de março de 2018). O prefeito já está autorizado, com respaldo do departamento jurídico da prefeitura, da comissão de trânsito e da própria audiência a seguir adiante com um novo contrato para a prestação de serviços por parte da empresa Piedade.

“Todos os requisitos legais foram cumpridos pela empresa. Além disso, não temos queixas do serviço prestado e não renovar o contrato significaria correr riscos de perdermos em qualidade. O que é justo e é bem feito precisa ser mantido para que as coisas possam evoluir na cidade. E estamos evoluindo muito”, destacou Santin.

O sistema

Da frota local da empresa Transporte Coletivo Nossa Senhora Piedade, 24 veículos são operantes: 17 atendem as linhas urbanas, sete as linhas rurais e quatro são carros reservas. A idade média dos veículos é de 5,3 anos, todos adequados à legislação de acessibilidade para os portadores de necessidades especiais.

A demanda mensal gira em torno de 158.220 passageiros, sendo 127.622 passageiros equivalentes (que efetivamente pagam a tarifa). Também são transportados sem o pagamento da tarifa, idosos, portadores de necessidades especiais e estudantes que pagam meia tarifa. Estes somam 30.598 passageiros em média. Neste período sem reajustes, a demanda dos passageiros equivalentes sofreu queda de 3,00%.

Ainda assim, atualmente a empresa opera 14 linhas urbanas, que rodam uma média mensal de 85.050 quilômetros. Já o sistema rural é composto por cinco linhas, cuja média mensal rodada é de 26.989 quilômetros. Assim, os dois sistemas totalizando média de 112.039 quilômetros percorridos por mês.

Para se ter uma ideia, a linha U14-Pinhalão, é a com maior extensão. Seu trajeto de ida e volta soma 96.964 quilômetros.